Serviços Prestados

Consultas para adultos, adolescentes e crianças.

 

A consulta psicológica, seja ela para fins de avaliação ou terapia, tem exclusivamente por finalidade ser útil ao cliente. Isto é conseguido através da relação que se estabelece entre aquele e o psicólogo.

Como tal, em situação de avaliação psicológica procura-se aferir aspectos específicos ou globais da estrutura e/ou funcionamento psíquico e mental  do indivíduo, com vista a coadjuvar um posterior procedimento institucional ou terapêutico.

Na situação de psicoterapia de apoio, o psicólogo irá ouvir a história que o indivíduo lhe traz e entendê-la do ponto de vista clínico. Procura-se o estabelecimento de uma relação específica que permite no encontro de subjectividades o acesso ao próprio funcionamento psicológico.

 

 

Avaliação Psicológica e Elaboração de Relatório

– avaliação do estado mental;

– avaliação ligada a processo de reforma;

– avaliação do desenvolvimento cognitivo e emocional em crianças e adolescentes;

– avaliação de personalidade.

 

Psicoterapia de Apoio

Apesar de não se debruçar forçosamente sobre situações de crise ou destinar-se a indivíduos com limitações graves, está frequentemente ligada a situações dolorosas, acidentais ou desenvolvimentais, em que a vivência subjectiva do indivíduo é penosa, sem que o seu funcionamento deixe de ser adaptado.

É indicada para pessoas que em qualquer momento da sua vida tiveram uma situação de perda, desequilíbrio, diminuição das defesas ou desajustamento. Trabalha-se a interacção do sujeito com o meio e consigo mesmo.

 

A psicoterapia de apoio está orientada para os seguintes objectivos:

– restabelecer rapidamente o equilíbrio psicológico do indivíduo;

– obter a máxima melhoria sintomática;

– reforçar as defesas;

– melhorar a adaptação ao meio;

– promover o crescimento emocional, estimulando activamente a ultrapassagem das etapas evolutivas inerentes à vida;

– aquisição de maturidade emocional mediante a promoção da autonomia, a consolidação de uma identidade própria, o estabelecimento de uma auto-imagem estável e integrada do self e a melhoria da capacidade de julgamento da realidade. 

Fontes: Lemperière & Féline, 1977 ; Cordioli, Wagner & Cechin, 1993; Leal, 2005.